quinta-feira, 1 de agosto de 2013

1º dia Semana Mundial de Aleitamento Materno 2013: depoimento de Alexandre


# O Ishtar Sorocaba inicia hoje uma pequena série de relatos de pais sobre o apoio e sua visão sbre a amamentação. Todos são participantes do nosso grupo presencial e aceitaram gentilmente ceder um pouco da sua experiência conosco. Muito obrigada! #


Até o nascimento da minha filha, eu nunca tinha pensado a respeito da amamentação, nem mesmo enquanto a Analice estava gravida. Nunca percebi na minha família algum cuidado em relação a isso, me lembro claramente da mamadeira que minha mãe me dava, de leite com essência de baunilha.
Depois que a Luísa nasceu eu achava que a amamentação não tinha nenhum mistério, bastaria colocar o bebê no peito e por instinto de sobrevivência ele saberia o que fazer.

Fiquei muito feliz ao vê-la mamando, fazendo até barulho ao sugar o peito, mas dias depois, quando procuramos a Claudia Gondim ( fonoaudióloga e consultora em amamentação) devido aos ferimentos no mamilo da Analice, descobrimos que a Luisa estava com a pega errada, o que também ocasionou perda de peso. Foi aí que descobri que amamentar não era tão simples assim.

A Claudia nos ensinou vários procedimentos para corrigir a pega, que no inicio pareceu ser loucura, mas que em pouco tempo apresentou resultado. Apoiei a Analice, ajudando em tudo que eu pude para que ela estivesse descansada para o corpo produzir o leite. Além disso, fomos firmes na nossa decisão de não dar mamadeira, mesmo quando algumas pessoas davam a entender que ela não tinha leite.

Sabendo de todos os benefícios do aleitamento materno exclusivo vejo que todo o sacrifico que enfrentamos valeu a pena!


Alexandre, marido de Analice e pai de Luíza com 5 meses, amamentada exclusivamente

5 comentários:

Juliana Bravi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliana Bravi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Juliana Bravi disse...

Poxa, achei super legal essa desmistificação sobre a amamentação, muita mãe de primeira viajem acha que as coisas acontecerão naturalmente, mas esse natural, as vezes precisa de um "empurrãozinho" ...infelizmente não pude amamentar a Sofia por conta de seu refluxo-gastroesofágico...o leite materno por ser mais leve em consistência, a fazia refluir mais, tivemos que optar por formulas AR. Espero poder amamentar nosso próximo filho.

Ishtar - Espaço para Gestantes disse...

Juliana,
Boa sorte na próxima jornada de amamentação. Procure um profissional especialista em amamentação para te ajudar.
O leite materno não é cotra indicado em caso de refluxo.
Um abraço

laurinda da silveira disse...

lendo aqui fiquei triste pq a Juliana Bravi faleceu em acidente dia 10 .12.2013